quarta-feira, maio 28, 2008

A Galp

Pois é, após algum tempo sem actualizar este espaço cibernético, está aqui um novo texto.
E vou continuar a falar sobre a questão automovel. Mais precisamente sobre a maior petrolífera nacional.
Numa altura de grande contestação acerca da escalada vertiginosa dos preços dos combustiveis, fui sensivel a falar em protesto contra a galp.
E porquê, precisamente porque se anda tudo a queixar e a Galp tem sido pioneira na luta contra as queixinhas, algo visivel nos anúncios publicititários dos últimos anos.
Daí, e fase ao momento que vivemos, em termos de calendário desportivo, estranho o silêncio desta companhia, quando noutras ocasiões, foi quem chamou a atenção de que as queixas eras não só excesivas, como inuteis, ou mesmo, contraproducentes.
Sendo que os preços dos combustiveis aumentam, os lucros da Galp também, os apelos habituais até teriam um duplo significado. Seriam duas vezes intressantes, portanto.
Se o próprio autocarro da seleção tem de ser empurrado por populares, estamos muito mal.
Que raio de promoção é essa? Parece que não há guito para o gasol! Sim, disse gasol.
Esperaria eu que a Galp apenas pedisse, e passo a citar "menos ais, quero muito mais!".
Agora isto...

1 comentário:

Eugénio disse...

Concordo e por isso é que já há um ano que não atesto na Galp!!